segunda-feira, 22 de maio de 2017

Livro: A revolução dos bichos






Título original: Animal Farm
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 152
Assunto: Sátira política / Fábula
CONTÉM SPOILER



A Granja do Solar, comandada por Senhor Jones passa a sofrer com seu descaso, os animais a cada dia trabalham mais sem nenhum reconhecimento, todos produzem e recebem o mínimo possível. Por outro lado Jones que nada produz é o mais privilegiado.

Em uma noite, o velho Major, um porco já idoso, resolve compartilhar com seus amigos o sonho que teve, onde os animais são livres, sem a influência humana, cada um produz o que pode, tudo é dividido irmãmente.

Todos foram seduzidos pelas belas palavras, mas Major faleceu três dias depois. Todos tinham comprado a ideia da revolução, não sabiam quando aconteceria, mas tinham esperanças de viver dias de abundância.

"O homem é o nosso verdadeiro e único inimigo. Retire-se de cena o Homem, e a causa principal da fome e da sobrecarga de trabalho desaparecerá para sempre."

Apos um dia de fome, cansados com o descaso, todos os animais juntam forças e conseguem colocar o velho Jones para correr. Sem acreditar em tamanha sorte resolvem criar algumas leis para manter a ordem da fazenda que agora passou a chamar Granja dos Bichos.

1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro patas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupas.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais.

Assim estabeleceu a ordem na Granja dos Bichos, a colheita foi a mais proveitosa, os animais maiores carregavam grandes quantidades porém os pequenos pegavam as migalhas que seriam desperdiçadas, todos trabalhando e felizes com o resultado.

Logo os porcos tomaram as rédeas da situação, afinal precisava ter uma mente pensante para manter a ordem. Quando menos se esperava a situação da Granja dos Bichos estava irreversível.

O porco Napoleão colocou todos contra seu até então parceiro Bola de Neve e passou a tomar conta da granja, aos poucos a situação ficou lastimável, porém não ter Jones na liderança dava a todos a falsa sensação de segurança.

Os poucos animais que sabiam ler não notaram ou até mesmo notaram mas não discutiam as pequenas mudanças nas leis, estas que passaram a ser:

1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro patas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupas.
4. Nenhum animal dormirá em cama com lençóis.
5. Nenhum animal beberá álcool em excesso.
6. Nenhum animal matará outro animal sem motivo.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros

"Haviam nascido muitos animais, para os quais a Revolução não passava de uma obscura tradição transmitida verbalmente, e outros que nem sequer tinham ouvido falar coisa nenhuma a respeito."

Escrito por Eric Arthur Blair, mais conhecido pelo pseudônimo George Orwell, o livro "Animal Farm" foi publicado em 1945, a história foi escrita de forma a explicar a situação vivenciada na época.

O autor coloca como protagonistas animais (que são considerados extintos de crueldade) para retratar as atrocidades que estavam experienciando. As referências estão nos personagens e nos acontecimentos. Napoleão seria Stalin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky.

Os eventos ocorridos na Granja são os mesmos que ocorreram na política como: expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História.

A narrativa em forma de Fábula facilita o entendimento, toda pessoa independente de idade consegue absorver algo da narrativa, o que muitos governantes não querem q aconteça, fazendo o livro ser proibido em diversos países.

Outro ponto que torna esse livro tão famoso é que apesar de descrever os acontecimentos de mais de 70 anos atrás a temática é atemporal, facilmente é possível trazer para nosso cotidiano. Independente do tempo que passe o livro vai deixar sua mensagem.

A trama nos faz refletir sobre qual nosso papel na sociedade, o quanto somos influenciáveis e como o poder pode deturpar as pessoas. Além disso também nos leva a meditar sobre o fato que a sociedade é um grande relógio, cada pessoa uma peça da engrenagem, se cada um fizer seu papel o bom funcionamento é garantido. 

"As criaturas de fora olhavam de um porco para um homem, de um homem para um porco e de um porco para homem outra vez; mas já se tornara impossível distinguir quem era homem, quem era porco."


- Leitura realizada para o 3° encontro do Avalon Book Club.

Um comentário:

  1. Parabéns pela resenha Line.
    Amei ter a oportunidade de reler esse livro. Com certeza é um livro da vida. Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".