quarta-feira, 25 de abril de 2018

Um recurso chamado Cliffhanger


Cliffhanger pode não ser uma palavra conhecida para você leitor, porém tenho certeza que sabe exatamente do que se trata.

Sabe quando sua leitura está fluindo lindamente, o livro se aproxima das últimas páginas e nenhum sinal que a história será concluída? Logo começa a bater o desespero, e BUM o livro termina em um momento crucial deixando um gancho para a continuação? Esse gancho é exatamente o terrível Cliffhanger.

Existe dois tipos de gancho na literatura, o do bem e o do mal.

Cliffhanger do bem é quando acontece entre capítulos, isso impulsiona a leitura fazendo chegar ao desfecho rapidamente.

Cliffhanger do mal é quando acontece no final de um livro. Piora drasticamente a situação do leitor se o livro não tiver a continuação publicada. E vamos combinar, esperar meses, anos para saber o final de uma história é o pesadelo de todos.




A tradução literal da palavra para a língua portuguesa é "à beira do precipício", ou "à beira do abismo" e é exatamente assim que nos sentimos ao encontrar um livro assim.

O final em aberto é uma maneira que os autores encontram para incentivar o leitor a continuar lendo séries/trilogias, é uma ferramenta muito usada também em seriados de TV, quem nunca se desesperou com um grande "To be continued" no centro da tela?

Se está pensando que isso é um recurso novo para fazer você comprar mais e mais livros, sinto em lhe informar que está enganado, assista a um filme em preto e branco e já encontrará o tão temido final em aberto.

Existem diversos livros com finais assim, para ilustrar vou falar de dois que me deixaram literalmente "à beira do abismo": "Em chamas" da autora Suzanne Collins e o livro "Horror na colina de Darrington" do autor nacional Marcus Barcelos.

Mas temos que concordar que quando bem empregado esse recurso deixa a experiência da leitura muito mais agradável, no final de um capítulo por exemplo é super bem vindo, é impossível não se sentir impelido a ler só mais um capítulo

Esse tipo de narrativa conquista o leitor, quando menos se espera a leitura é finalizada, não se vê a hora passar e fica uma sensação boa de dever cumprido.

Esse tipo de gancho entre capítulos pode ser encontrado nos livros do autor Harlan Coben. Os Thrillers psicológicos usam e abusam desse recurso, e nesse caso eu adoro.

Existe também os livros que elevam o desespero do leitor com capítulos que terminam com um gancho e ao iniciar o próximo nos deparamos com a abordagem de outro ponto da trama, e provavelmente esse novo ponto vai terminar com outro gancho e isso vai intercalando e deixando a leitura em um ritmo alucinante.

Qual sua opinião sobre o assunto? 

Deixe nos comentários os livros com Cliffhanger que você já leu, e nos conte como foi sua experiência.


0 comentários:

Postar um comentário

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".