sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Crônica: Um dia daqueles


Um dia daqueles que insiste em não passar. Um dia daqueles que parece não ter mais fim.

As horas e os ponteiros do relógio se multiplicam, tanto e a ponto de perdermos a noção.

Dias bons, dias ruins, eis a grande equação.

Se sou eu, se é você, chega uma hora que pouco importa quem tem razão. O que vai importar de verdade é o quanto queremos ser felizes com o que temos... com nossos amores possíveis.

Nada é absoluto! 

E quando nos damos conta, os danos antes irremediáveis tornam-se contornáveis na medida do que se quer, do que mais irá nos fazer falta.

Então, depois de um dia daqueles onde somos virados pelo avesso, vamos tentando fazer diferente para que seja mesmo diferente.

Fácil?! Não tem nada de fácil nisso. Mas quem foi mesmo que disse que seria fácil?

Um dia daqueles merecia ser deletado ou, ao menos, reinventado.

Arte... saber viver é uma arte porque, se não ontem, hoje e nem amanhã, mas podemos esperar que tão logo virá outro dia daqueles.

Que estejamos prontos!


Médica e autora do livro: Perfume de Hotel
contato@carlasgpacheco.com

2 comentários:

  1. Oi Aline,
    todos nós temos esse dia que é feito exatamente para ser esquecido ou até mesmo lembrado, um dia daqueles. São dias para se pensar que não deveria ter saído da cama.
    bjs

    Antonio Henrique Fernandes
    www.navioerrante.blogspotcom.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Antonio... quem nunca teve um dia daqueles que atire a primeira pedra, rsrsrs. Bjo

      Excluir

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".