sexta-feira, 31 de julho de 2015

Crônica: Verdades


Viver, viver de verdade, é atrever-se a todo instante. É se jogar na vida, no mundo, é arriscar provar do que há pra viver, é não ter medo de mudar de direção tantas e quantas vezes forem preciso em busca de ser feliz sempre.

A felicidade é uma conquista. Ser feliz, "ser" e não "ter". 

Quando somos de verdade, quando nos entregamos a vida sem reservas, quando não abrimos mão de nós mesmos em detrimento do julgamento daqueles que não tem a coragem de ir além, quando não nos deixamos violentar e amargurar, aí sim existimos em liberdade.

Tudo tem um preço, verdades e mentiras também. Então, se é pra pagar, quero pagar o preço da verdade.

Nada é realmente belo se falta verdade. 

Amor... no amor não cabem mentiras. O amor é a mais profunda de todas as verdades, se não for assim, não é amor.

E é pra se amar de verdade todos os dias, porque só assim a vida se enche de cor.

Eu não quero ver a vida passar sem graça, não quero vê-la em cores primárias, quero provar das suas nuâncias e inúmeras possibilidades.

No fundo, quero apenas ser feliz de verdade!


Médica e autora do livro: Perfume de Hotel
contato@carlasgpacheco.com

0 comentários:

Postar um comentário

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".