sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Crônica: A herança que não pode ser roubada


Eu não conheci meu sogro, mas sei que foi um marido e um pai muito presente, que sempre primou por dar uma boa formação aos seus três filhos, e fez desse seu maior plano de investimento. Ele tinha a exata noção de que essa era a maior herança que poderia deixar para cada um deles, uma herança que nunca poderia ser roubada, jamais se extinguiria, iria lhes proporcionar independência e, com isso, a garantia da sobrevivência.

Parecia até que ele estava adivinhando. Ele foi acometido por um câncer de pulmão e veio a falecer ainda muito jovem, justamente quando falavam que já estava mais que na hora dele começar a curtir, conhecer outros lugares, se permitir experimentar novos sabores, afinal, seu plano tinha dado certo e seus filhos já estavam criados e encaminhados – dois deles já estavam formados e a caçula cursava a faculdade. 

Enfim, nós não sabemos nada diante da vida, nada sobre o minuto seguinte. O que agora afirmamos ter, num piscar de olhos pode deixar de existir. Temos tantas certezas estúpidas... a única coisa que podemos mesmo dizer ser nosso é o conhecimento que adquirimos. Aonde formos ele estará conosco.

A vida é uma grande escola, mas muito antes de sabermos essa lição somos apresentados à escola feita de tijolos e carteiras e, nessa escola, o professor é uma das primeiras pessoas, depois de nossos pais, com quem iremos estabelecer uma relação de confiança. É com ele que passaremos grande parte do nosso tempo, e é por meio dele que faremos grandes descobertas. Ele nos guiará pela mão, nos ajudará muitas vezes com nossos passos ainda inseguros, e será um dos grandes responsáveis pelo nosso desenvolvimento como pessoa, como cidadão.

Fazemos muito planos, traçamos muitas metas, sonhamos e ambicionamos muitas coisas e, muitas vezes, esquecemos de que não há a menor garantia de que teremos tempo de realizar, ou mesmo, de que em conseguindo realizar teremos ao nosso lado a pessoa com quem sempre imaginamos compartilhar a conquista. O que quero dizer com isso? Que a qualquer momento todas as nossas certezas podem ser desfeitas, e aí...? O que é que fica? Ainda irá restar aquilo que somos pelo que aprendemos ser, o nosso conhecimento.

Então, valorize o conhecimento, queira ser um detentor do saber, e aprenda a reconhecer quem te deu a mão para isso.

A você professor meu muito obrigado! Feliz Dia do Professor!

*minha singela homenagem ao Dia do Professor.


Médica e autora do livro: Perfume de Hotel
contato@carlasgpacheco.com

2 comentários:

  1. Oi tudo bem?
    Achei muito bonita esta cronica, gosto de textos que retratam a humanidade e que serve como base nossa vida.
    Abraços ;)

    https://literaturaparaosaber.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso Vinicius...
      A vida é um constante aprendizado se soubermos olhar, tirar e guardar as lições que ela nos traz.

      Excluir

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".