sexta-feira, 20 de março de 2015

Crônica: Invisível


Às vezes me sinto invisível, em outras, me faço invisível.

Creio não ser essa uma prerrogativa só minha. Acho que, cada um de nós, em algum momento, já se viu ou se colocou dessa forma.

Tem horas que temos a nítida sensação de que estamos falando ao vento e que nada, nada mesmo, parece estar sendo percebido de verdade, quer sejam nossas falas sobre coisas triviais do nosso dia, mas nem por isso sem importância, quer sejam sobre questões que exigem de nós um carinho e uma atenção a mais ao lidar com elas. Em outras circunstâncias, somos nós que preferimos passar sem sermos notados, nós que escolhemos deixar em anonimato as nossas opiniões e as nossas emoções. 

Enfim, se escolhemos ser invisível, se optamos por essa roupa, podemos até nos sentir confortáveis nela, mas se, do contrário, nos forçam a vesti-la, ela sempre irá nos agoniar.

São muitas, e de muitos tipos, as relações que se impõem e as que conquistamos, mas seja de qual for o tipo, nenhuma delas se sustenta por si só, elas se mantêm a depender da forma como nos relacionamos, da forma como lidamos uns com os outros.

Se nos tornamos invisíveis por tempo demais, quer por opção ou não, uma hora deixamos de existir nessa equação.

São tantas as distrações a nossa volta, tantos compromissos, tantas preocupações, que parece estar cada dia mais difícil parar para enxergar e escutar o outro, mas o fato é que, agindo dessa maneira assumimos o risco de perder o que realmente é importante, o que temos de mais valioso. Ver é bem diferente de enxergar. Enxergar é perceber, é ver de verdade, é olhar nos olhos e estar atento aos detalhes. Do mesmo jeito, escutar é bem diferente de ouvir. Para ouvir basta estar com os ouvidos abertos, mas para escutar é preciso dedicar aquele momento ao outro, só assim seremos capazes de reproduzir o que foi dito e, só assim saberemos como o outro está se sentindo.

Invisível... não fomos feitos para ficar assim. 

Ou existimos ou morremos!

Médica e autora do livro: Perfume de Hotel
contato@carlasgpacheco.com

0 comentários:

Postar um comentário

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".