sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Crônica: Tudo fora de lugar


Se perdemos a capacidade de nos emocionar, se nao somos mais tocados por toda dramaticidade a nossa volta, ou mesmo pela beleza, algo está muito fora de lugar.

Serão nossas rotações muito aceleradas por minuto? É isso ou será que ficamos completamente cegos para o que importa de verdade?

Para onde e como estamos indo, eis a questão. 

Passos cibernéticos cada vez mais largos, uma intimidade tamanha com o mundo virtual e cada dia mais destreinados para lidar com o mundo real.

Reza a lenda que se pararmos de olhar para o celular e erguermos a cabeça veremos um céu azul, pássaros, árvores, pessoas...

O mundo virtual jamais será capaz de transmitir todas as sensações que se pode provar no mundo real. 

Gestos e atitudes falam mais do que palavras, sim, mas as palavras ditas e não tecladas a distância são mais que necessárias, são vitais. Sem elas, muitos dos gestos se perdem.

Em tempos tão modernos, o olho no olho tem ficado cada vez mais esquecido, o som da voz que faz disparar o coração tem se perdido. Dedos ágeis para teclar, mas na contramão da era touch screen, se tornaram quase insensíveis ao toque.

Tudo fora de lugar!

Nada, nada substitui a presença, o toque, o cheiro, o sabor, a respiração soprando ao pé do ouvido, até mesmo uma discussão mais acalorada, enfim, tudo que realmente nos faz sentir o quanto estamos vivos.

Cada vez que me deparo com toda nossa fragilidade diante da vida, isso só reforça ainda mais em mim a necessidade urgente de viver muito bem o presente, de não disperdiçar momentos, de não me frustrar por coisas banais, de não economizar no que é essencial.

Encurtamos "abs", "bjos", "sdd"... nada disso deve ser abreviado.

E para o amor não devem existir silêncios. 

Poderá chegar, quem sabe, um dia em que desejaremos muito falar, expressar o que sentimos, tocar, e possa ser que não tenhamos mais tempo para isso.

Então, enquanto ainda há tempo quero saborear cada minuto em tempo real, quero me entregar e viver as sensações, sem mentiras ou meias verdades, nada pela metade, com interesse real no mundo real.

Tem que valer a pena!
Médica e autora do livro: Perfume de Hotel
contato@carlasgpacheco.com

0 comentários:

Postar um comentário

IMPORTANTE

- Não utilize esse espaço para divulgar resenhas e promoções (existe outras maneiras de divulgar seu trabalho), comente e deixe o link do seu blog que irei visitar;

- Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo;

- Se você quer receber a resposta por e-mail, assine com a sua Conta do Google e marque a caixa "Notifique-me".